sábado, 25 de junho de 2011

Não acredito em impossível.

Um dia, a ideia apareceu, e pronto: virou verdade. De repente, eu soube que, se cavasse um buraco bem fundo na areia do parquinho, iria encontrar água. Não essa de poça: água azul-clarinha, transparente, como de piscina, cheia de flores e peixes coloridos. Então, mergulharia no buraco. Nadando entre os cavalos-marinhos, chegaria ao lago. Lá, o arco-íris no céu nunca sumia, a água da cachoeira caía sem machucar, podia ir na roda-gigante e comer cachorro-quente da barraquinha até se cansar. Mais ninguém morava ali: só os unicórnios. Tinha certeza absoluta e irredutível de que esse lugar era real. Podia descrevê-lo em detalhes, sentir seus cheiros, cores, sons. Em todos os recreios dos meus seis anos, me punha a cavar, e só parei no dia em que cimentaram o terreno.

Sinto falta de verdades inquestionáveis assim. De tanto nos dizerem que não dá, não pode, não existe, desaprendemos a imaginar o impossível. Passamos a duvidar dos sonhos, cheios de preocupações práticas e autocensuras.

Mas, quando não tem ninguém olhando, confesso: eu fujo. E, em vez de pensar na lista de pendências do dia seguinte, imagino a casa na árvore que construiria numa ilha deserta. Ou como seria respirar debaixo d’água, viajar no tempo, ter quatro braços, ler pensamentos. De outras, me vejo aventureiro, e planejo como escapar de índios canibais, atravessar um labirinto, sobreviver ao deserto. Há dias em que me coloco em outras vidas – como seria se eu fosse indiano, detetive ou tocasse sanfona? Como as crianças sabem (essa sabedoria que nos podam enquanto crescemos), imaginar é o maior dos superpoderes. Se não dá vida aos sonhos, ao menos nos deixa mais perto das vidas que sonhamos ter. E faz tudo ser possível outra vez.

18 comentários:

  1. Bruna Lemosjunho 25, 2011

    Eu amo ter esses pensamentos!

    ResponderExcluir
  2. Amei, o teu texto!

    ResponderExcluir
  3. Olga Souzajunho 25, 2011

    seu blog é show!

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto, muito sua cara!

    ResponderExcluir
  5. Beto Tellesjunho 26, 2011

    Kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  6. Paula Cristinajunho 26, 2011

    Adorei o texto. Eu também sempre quis uma casa na arvore!

    ResponderExcluir
  7. Adorei o texto.

    ResponderExcluir
  8. Diogo Carvalhojunho 27, 2011

    Adoro coisas deste tipo! Eu também sou bem sonhador.

    ResponderExcluir
  9. Henrique Cerqueirajunho 28, 2011

    Amei o texto, foi muito bem escrito. Me fez rever a minha infância!

    ResponderExcluir
  10. Danielle Fernandesjunho 28, 2011

    Sempre tive sonhos loucos assim, pensamentos surreais e imaginação fértil. Sou uma criança não crescida!

    ResponderExcluir
  11. Olga Souzajunho 28, 2011

    Seus textos são muitos bons.

    ResponderExcluir
  12. Giselle do Carmojunho 29, 2011

    Beijar Brad Pitt é um sonho ou fantasia?

    ResponderExcluir
  13. Muito legal o textinho.

    ResponderExcluir
  14. Fernanda Silveirajunho 30, 2011

    amo seu blog, ele é meio louco... Mais seus textos são legais!

    ResponderExcluir
  15. Débora Rodriguesjulho 02, 2011

    Sempre adoro seus textos muito bom.

    ResponderExcluir
  16. Vania Modistajulho 02, 2011

    Muito bons seus textos... Parabéns!

    ResponderExcluir

Serão rejeitados comentários que desrespeitem o dono do Blog, apresentem linguagem ou material obsceno ou ofensivo, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou não se enquadrem no contexto do post.