sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Preconceito não existe.

Recebi um e-mail da Dona Maroca, que me deixou muito curioso, ela falava sobre preconceito. Fiquei meio intrigado e achei bem divertido o e-mail.

 Leia-se:

  "Caro bloguista, venho por meio desta lhe informar que não acredito que haja preconceito branco. Sabe porque? Porque as pessoas que são de má índole. Esse negocio de preconceito é uma coisa engraçada, porque todo mundo fala que não tem, mas todo mundo tem preconceito com alguma coisa. Não adianta falar que não tem porque tem, você pode ate querer não ter, que já é um grande ganho. Mas tem! Eu sofri preconceito a minha vida toda, até quando me separei do Tadeu eu sofri preconceito, porque as pessoas me olhavam torto na rua. Achavam que eu era PUTA, mas eu não era. Sabe, eu não era PUTA! 
Depois o segundo preconceito foi quando o meu filho mais velho resolveu casar, ele casou com uma moça FEIA, as pessoas comentavam também. Eu sei, é difícil pra uma mãe entregar o filho pra uma moça que veio prejudicada na beleza. Mas o que eu vou fazer? 
Aí depois com o tempo a gente foi se acostumando. Depois o terceiro preconceito foi quando Jaqueline nasceu, que é a minha filha do meio. Que aí Jaqueline nasceu bem GORDA mesmo, veio com 5 kilos... Daí a gente não conseguiu reverter de jeito nenhum. Ela mamava desesperadamente, eu quase morria com aquilo, mas vou fazer o que, nada, nada acabava com a fome daquela garota. A impressão que eu tinha era que ela recém nascida queria comer uma feijoada. 
 Então querido... daí vem o quarto preconceito que eu tive, se eu for parar pra pensar foi com o meu filho Luciano, nasceu também, depois com o tempo a gente foi reparando que ele estava bem afeminado. Foi desenvolvendo a coisa do GAY né? E aí a gente sabe, mãe sabe, eles não falam, mas a gente sabe. E eu vou fazer o que, eu vou bater nele, vou expulsar? Não! Vou amar, eu amo o meu filho da mesma forma. E tem mais, dizem que GAY é o filho que mais te ajuda, que é o filho que fica em casa, que faz comida, que ajuda a mãe, que é carinhoso, mas não é. Tirando o GAY é a mesma merda, não fica em casa, não me ajuda. Só vem em casa pra dormir, larga tudo jogado pela casa. Não muda nada. 
Então, no final das contas, você pode ser Gay, casar com FEIA, ser GORDA, que é a mesma coisa. O ser humano é igual. Mas tem o preconceito, com certeza tem."

Ela tem ou não tem preconceito? Enfim, o preconceito na opinião da Dona Maroca, existe ou não existe?

5 comentários:

  1. Adorei, essa Tag "Ela viu?" é muito boa.

    ResponderExcluir
  2. Menino essa Dona Candoca existe mesmo?

    ResponderExcluir
  3. Flavia Medeirosoutubro 27, 2012

    Asim como ela eu também acho que preconceito não existe.

    ResponderExcluir

Serão rejeitados comentários que desrespeitem o dono do Blog, apresentem linguagem ou material obsceno ou ofensivo, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou não se enquadrem no contexto do post.